top of page
  • Adriana Cotias

SPX prevê R$ 2,5 bi para seu primeiro ‘private equity’

Atualizado: 7 de jun. de 2022

Gestora estreia em nova vertical após ter assumido a estrutura do Carlyle no Brasil

A SPX Capital prepara o seu primeiro fundo de “private equity”, após selar acordo com o Carlyle para assumir a estrutura do grupo no Brasil. O arranjo, fechado no ano passado, incluiu a vinda de Fernando Borges, nome de referência da gestora americana no país, e parte da equipe de investimentos, a exemplo do diretor Edson Peli. Ambos viraram sócios da SPX.


O objetivo é levantar R$ 2,5 bilhões de institucionais, pessoas físicas e estrangeiros. Entre os sócios da SPX e um investidor âncora internacional, já há cerca de R$ 500 milhões em capital comprometido, conta Bruno Marangoni, sócio responsável por produtos e novos negócios da SPX. Ele ainda não abre quem, mas adianta não ser o Carlyle. Em maio do ano passado, a gestora de private equity anunciou que restringiria sua atuação no Brasil a grandes investimentos, e o Carlyle South America Fund foi transferido para a SPX. A equipe de Borges continua gerindo o portfólio no Brasil, que tem participação em empresas como RiHappy, Rede D’Or, Tok&Stock e Madero Leia a matéria completa aqui:

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Gestoras têm desafio para saída em seca de IPO

Fundos de private equity devem ter um dos piores anos para a venda de ativos Os fundos de private equity, que são aqueles que compram participações em empresas, deverão encerrar 2023 com a marca de pi

bottom of page