top of page
  • Valor Econômico

Na Condolivre, o funding da Augme ajuda o síndico a fechar a conta

Atualizado: há 6 dias

Fintech de Matheus Munford está de olho em um mercado pulverizado que movimenta R$ 300 bilhões por ano



A fintech Condolivre acaba de levantar R$ 30 milhões com a Augme — gestora de crédito privado com R$ 1,9 bilhão em ativos —, assegurando o funding para ampliar a carteira de crédito no universo de condomínios residenciais e comerciais, o que inclui desde o crédito consignado a funcionários até a antecipação de recebíveis para fornecedores.


Liderada por Matheus Munford, um ex-sócio da McKinsey que também comanda a firma de investimentos Steinbock Capital, a Condolivre surgiu com a proposta de dar crédito a uma indústria muita pulverizada e menos desejada pelo sistema bancário.


"É uma turma muito mal atendida. No Brasil, um condomínio tem 4 ou 5 funcionários, em média. O banco não vai até lá fazer campanha de consignado", diz Munford, que fundou a startup no ano passado ao lado dos sócios Luiz Moraes (também ex-McKinsey) e Rodrigo Gebara (ex-Azimut).


Leia a Matéria Complete aqui:https://pipelinevalor.globo.com/startups/noticia/na-condolivre-o-funding-da-augme-ajuda-o-sindico-a-fechar-a-conta.ghtml

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page