• Juliana Schincariol

Em meio a restrições orçamentárias, sucessão na CVM mobiliza três nomes

Atualizado: 24 de mar.

Gestão de Marcelo Barbosa, que vai até julho, já tem desafios como falta de pessoal



Enquanto a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pode ter suas atividades afetadas com o corte orçamentário de 2022, o mercado de capitais cresce com inovações que exigem mais atualização e agilidade do regulador. A despeito da magnitude inicial da redução do orçamento para as despesas ligadas à manutenção de suas atividades, o enxugamento da autarquia não é novidade. A gestão do atual presidente da CVM, Marcelo Barbosa, vem buscando soluções para problemas como falta de pessoal, tarefa que permanecerá para seu sucessor. Como o mandato do advogado se encerra em meados de julho, candidatos em ocupar o posto começam a se articular.


Pelo menos três potenciais candidatos buscam apoio em Brasília, apurou o Valor. Um deles é o advogado e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) João Pedro Nascimento. Outros dois nomes possuem cargos no mais alto escalão da autarquia. João Accioly foi indicado como diretor da CVM, e ainda precisa passar pelos trâmites no Senado para ser nomeado e iniciar as atividades. Da mesma forma, o nome de Otto Lobo, que começou recentemente no colegiado, tem sido citado por interlocutores como um dos que podem substituir Barbosa. Procurados, os três possíveis candidatos não quiseram fazer comentários.


Leia a matéria completa aqui: https://valorinveste.globo.com/mercados/noticia/2022/01/31/em-meio-a-restricoes-orcamentarias-sucessao-na-cvm-mobiliza-tres-nomes.ghtml

8 visualizações0 comentário