• Adriana Cotias

ARX escala na onda dos fundos de crédito no Brasil

Ao completar duas décadas, gestora encosta nos R$ 40 bilhões de patrimônio líquido


Bokel (esq.) e Poppe, da ARX: Fundos da grade internacional do BNY Mellon estão entre os projetos para 2022 — Foto: Leo Pinheiro/Valor

Uma das gestoras de recursos mais antigas do mercado brasileiro, a ARX Investimentos, completou 20 anos em 2021, com quase R$ 40 bilhões sob seu guarda-chuva. Entrou para o clube das grandes há 2 semanas Finanças assets independentes, fora dos principais grupos financeiros do varejo, que têm as agências bancárias como canal cativo de distribuição.


Foi a entrada na gestão de fundos de crédito e de previdência que encorpou a sociedade, ligada ao americano BNY Mellon. Quando estreou em portfólios com dívida corporativa, no fim de 2018, a ARX tinha R$ 8,8 bilhoes e ocupava o 44º lugar no ranking de gestão da Morningstar. Em outubro último, estava na 19ª posição, à frente de nomes como JGP, Ibiuna e Kapitalo. As métricas não incluem fundos de fundos, em cotas ou carteiras offshore.


Leia matéria completa aqui:

https://valor.globo.com/financas/noticia/2021/12/22/arx-escala-na-onda-dos-fundos-de-credito-no-brasil.ghtml

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Gestoras se multiplicam mesmo com alta da Selic

Anbima registra só neste ano 128 novas gestoras, número que supera o total aberto em todo o ano passado A despeito do ciclo de alta de juros e da redução do ritmo de captação nos fundos de maior risco